Login

Nosso Blog

Ressonância magnética: o que é e como funciona o exame

ressonância magnética - sala de exame de ressonância magnética
Precisando reduzir custos do seu hospital? Conheça nossos laudos a distância!

Certamente você já deve ter ouvido falar no exame de ressonância magnética, mas afinal, você sabe o que é? Muitas pessoas ficam extremamente ansiosas e apreensivas quando o assunto é ressonância magnética, mas a verdade é que nem todos sabem realmente como é o exame.


Uma alternativa que tem facilitado a vida de médicos, profissionais da saúde e pacientes com diagnósticos por imagem mais precisos do que os obtidos em outros exames, a ressonância magnética possibilita uma imagem seccional do interior do corpo humano com alta qualidade.

Quer saber mais sobre este exame, como ele funciona e quais os seus benefícios se comparado a outros tipos de exame de imagem? Continue a leitura e confira este conteúdo que preparamos sobre o assunto esclarecendo essas e outras dúvidas. Boa leitura!

O que é ressonância magnética?

A Ressonância magnética é um exame de imagem que mostra com definição estruturas internas de órgãos através da utilização de campo magnético. O aparelho de ressonância magnética conta com um grande imã, que é capaz de gerar um campo magnético.

Vale lembrar que este exame não envolve nenhum tipo de radiação e que tem grande importância no diagnóstico de vários problemas de saúde, como por exemplo tumores, aneurismas, problemas nas articulações ou outras lesões nos órgãos internos.

Como funciona este exame?

Para a realização da ressonância magnética, utiliza-se uma grande máquina, onde as imagens dos órgãos são criadas através do uso de um campo magnético.

O equipamento para a realização do exame é robusto e possui formato circular. O paciente é posicionado no centro do campo magnético e um grande ímã é rotacionado em volta da pessoa para a geração das imagens que são capturadas por computadores.

Vale lembrar que qualquer mudança de posição, mesmo que pequena e quase imperceptível, pode acabar afetando a qualidade das imagens geradas e, consequentemente, o resultado das imagens.

Também existe toda uma equipe técnica supervisionando cada momento do exame. Através de um microfone, se necessário, podem ser passadas informações ou até mesmo instruções. O exame dura em média cerca de 15 a 30 minutos, podendo durar até 1 hora ou mais dependendo da área examinada.

É necessário o uso de contraste na ressonância?

A ressonância magnética precisa do contraste em alguns casos, permitindo uma melhor visualização dos resultados. O contraste é uma substância que melhora a qualidade das imagens, podendo ser administrada via endovenosa ou oral. 

O contraste utilizado no exame é específico para esse tipo de exame, o gadolínio, um metal raro. A substância é reconhecida pela eficácia e também pela baixa taxa de reações adversas.

O uso do contraste é bastante seguro, mas, apesar de ser pouco frequente, as reações adversas podem ocorrer, sendo geralmente reações leves.

Por que realizar um exame de ressonância magnética?

A ressonância magnética pode ser indicada para o diagnóstico de diversas doenças distintas, afinal, esse exame pode ser realizado em qualquer parte do corpo e as imagens possuem uma alta qualidade. Este exame possibilita:

  • A identificação de lesões na face, encéfalo, base do crânio, tronco encefálico, cerebelo, ouvidos etc. Também ajuda a detectar malformações, tumores, trombose, hemorragias, infecções, entre outras alterações;
  • A avaliação de órgãos como laringe, faringe, traqueia, glândulas, linfonodos e músculos em busca de alguma alteração;
  • A avaliação desde a junção crânio-cervical até o cóccix para a detecção de tumores, áreas de calcificação e fraturas na coluna;
  • A identificação de alterações e lesões nos tecidos moles como tendões, ligamentos e bursa;
  • A avaliação dos órgãos para a detecção de infecções, massas e tumores.

Existe alguma contra-indicação?

O campo magnético usado na ressonância atrai objetos contendo ferro e pode levá-los a se mover com grande força. Por isso, os pacientes são orientados a remover todas as joias, roupas e outros itens que possam conter metal antes de entrar na área da ressonância magnética.

Por esse mesmo motivo, a ressonância magnética é contraindicada para pessoas que tenham implantes e aparelhos metálicos, como por exemplo marca-passo, clip de aneurisma cerebral, pinos, parafusos ou placas no corpo, entre outros.

Outras condições devem ser informadas e avaliadas, como por exemplo uma gravidez, o paciente deve se certificar de que os profissionais de saúde saibam da condição para que eles possam tomar decisões seguras ao aconselhá-lo da melhor forma.

O paciente deve discutir qualquer preocupação com seu médico ou profissional técnico responsável antes do exame para que possam decidir pelos métodos mais apropriados.

É um exame desconfortável e demorado?

A ressonância magnética é um exame bastante tranquilo e indolor, porém, algumas pessoas realmente não se sentem confortáveis ao realizar o exame por se tratar de um espaço pequeno e fechado.

Para pessoas com claustrofobia, crianças pequenas, pessoas com esquizofrenia e outros, esse exame pode ser bastante desconfortável. Mas saiba que antes de entrar na máquina, o profissional entrega ao paciente um botão que fica com ele e pode ser acionado caso o paciente sinta algum desconforto.

Como já foi dito, a duração de uma ressonância magnética pode variar bastante, indo de alguns minutos a mais de 1 hora, tudo vai depender da área a ser estudada, sequências necessárias para o diagnóstico correto etc.

Quais os tipos de ressonância?

As clínicas que oferecem o exame de ressonância magnética dispõe de diversas variações desse exame em relação à área do corpo que será analisada, uso do contraste e técnica que será utilizada. Esses aspectos podem ser combinados de acordo com o que foi solicitado pelo médico.

O exame pode variar em diferentes tipos, entre os mais comuns estão:

  • Ressonância magnética do crânio: ajuda a avaliar malformações cerebrais, tumores, hemorragias, trombose cerebral e outras alterações ou infecções na região do cérebro;
  • Ressonância magnética da pelve, abdômen ou tórax: ajuda no diagnóstico de massas ou tumores em órgãos da região, como por exemplo útero, ovários, próstata, bexiga,  intestino, coração etc.
  • Ressonância magnética da coluna: ajuda no diagnóstico de problemas na coluna ou medula espinhal, como por exemplo tumores, calcificações, fragmentos de ossos etc.
  • Ressonância magnética de articulações: ajuda a avaliar os tecidos moles dentro da articulação, como a bursa, tendões e ligamentos.

Quais vantagens deste exame?

Entre os principais benefícios do exame estão:

1. Não utiliza radiação

Uma das maiores vantagens da ressonância magnética é o fato do procedimento não utilizar radiação ionizante. Diferentemente de outros exames, como por exemplo a tomografia computadorizada, angiografia e a radiografia comum, que utilizam da radiação ionizante (raio X), a ressonância magnética consegue gerar imagens nítidas utilizando apenas os campos magnéticos.

2. Menores chances de que ocorram efeitos colaterais

A ressonância magnética apresenta poucos efeitos colaterais, já que nem todo exame precisa do contraste. Na ressonância magnética, o contraste costuma ser à base de gadolínio, um metal raro com baixa frequência de efeitos colaterais e reações alérgicas.

3. Imagens de alta definição

Através da ressonância magnética é possível captar imagens com uma alta definição. Outro ponto é que em outros tipos de exames a capacidade de gerar imagens é limitada a apenas um plano. Já no aparelho de ressonância magnética, existe a possibilidade de criar imagens em diferentes planos.

Como a telerradiologia pode auxiliar os exames de ressonância?

Um dos grandes benefícios da telerradiologia é justamente a possibilidade de fornecimento de documentação médica a distância para pacientes, o que facilita bastante a rotina tanto dos próprios pacientes quanto dos médicos. Resultados de exames e laudos médicos podem ser solicitados e acessados com muita facilidade e sem a necessidade de realizar grandes deslocamentos.

Com esse e outros benefícios da telemedicina, a telerradiologia, que é uma especialidade da telemedicina, vem ganhando bastante força, reduzindo a necessidade de gastos com filmes radiológicos e trazendo mais agilidade aos processos e entregas de laudos.

Um dos exames que estão inclusos na telerradiologia e que pode ser laudado a distância é a ressonância magnética. O que traz mais facilidades e conforto, principalmente considerando o momento delicado de pandemia que vem sendo enfrentado.

Conclusão

Agora que aprendeu mais sobre a ressonância magnética e entendeu como funciona, deve estar mais claro para você como este exame é fundamental para diagnósticos de uma série de doenças e condições.

Esperamos que você tenha gostado e que este conteúdo tenha esclarecido todas as suas dúvidas.

Para não perder nenhuma novidade e receber nossos conteúdos exclusivos, continue acompanhando nosso blog e  inscreva-se em nossa newsletter.

Até a próxima!

Compartilhe:

Fale com um especialista e reduza custos do seu hospital.

A VX Medical Innovation oferece laudos de subespecialistas mesmo em locais distantes dos grandes centros urbanos, agilize o diagnóstico com laudos em até 2 horas e reduza os custos operacionais e otimize processos internos. Vamos conversar.
plugins premium WordPress