Login

Nosso Blog

Cintilografia: o que é, como funciona e para que serve?

Equipamento de cintilografia
Precisando reduzir custos do seu hospital? Conheça nossos laudos a distância!

A cintilografia é um exame de diagnóstico por imagem muito importante na medicina moderna, proporcionando diagnósticos precisos e detalhados. Neste artigo, exploraremos o que é a cintilografia, como ela funciona e suas principais aplicações. Nesse conteúdo, vamos te explicar a importância e benefícios desse exame na detecção de diversas condições médicas. Acompanhe e descubra como a cintilografia pode transformar a prática médica.

O que é cintilografia?

A cintilografia é um exame de imagem que utiliza substâncias radioativas para avaliar o funcionamento de diferentes órgãos e estruturas do corpo.

Diferente de outras técnicas de imagem, como a radiografia ou a ressonância magnética, a cintilografia emprega radiofármacos – substâncias radioativas que são administrados ao paciente, que emitem radiação que é captada por uma câmera. As imagens geradas fornecem informações detalhadas sobre a função e a estrutura dos tecidos e órgãos examinados.

Saiba mais sobre os avanços da medicina nuclear no diagnóstico e tratamento de doenças, leia aqui!

Além disso, a cintilografia se destaca por sua capacidade de detectar alterações funcionais antes que sejam visíveis em outros exames de imagem, como raios-X ou tomografias, tornando-a um exame de escolha para diagnósticos precoces e acompanhamento de tratamentos.

Para que serve a cintilografia?

A cintilografia tem uma gama de aplicações na medicina para diagnosticar e monitorar diversas condições de saúde, como:

  • Cardiologia: Utilizada para avaliar a perfusão miocárdica, detectar áreas de isquemia ou infarto e na detecção de doenças coronarianas.
  • Oncologia: Importante na detecção e estadiamento de cânceres, além de monitorar a resposta ao tratamento.
  • Nefrologia: Avalia a função renal e detecta obstruções, sendo útil em pacientes com suspeita de doença renal crônica.
  • Ortopedia: Identifica fraturas de estresse, infecções ósseas e outras doenças ortopédicas que podem não ser visíveis em radiografias convencionais.

Sendo assim, esse exame oferece várias vantagens e benefícios para o paciente e para os médicos, como a capacidade de fornecer informações funcionais do organismo além das estruturais, tornando os diagnósticos precoces e precisos, e possibilitando intervenções médicas mais rápidas.

Sugestão de leitura: Radiologia médica: diagnóstico e tratamento avançados

Quais são os tipos de exames de cintilografia e quem pode fazê-los?

Apesar de seus benefícios, a cintilografia tem algumas limitações. Como o exame envolve a exposição a pequenas doses de radiação, é contraindicado que mulheres grávidas e lactantes realizem esse tipo exame.

Cintilografia óssea

A cintilografia óssea detecta alterações metabólicas nos ossos, como fraturas ocultas, infecções e metástases ósseas em estágios iniciais. Portanto, é amplamente utilizada na oncologia para rastrear a disseminação de câncer para os ossos.

Cintilografia do miocárdio

Esse exame avalia o fluxo sanguíneo no coração. Por isso, é fundamental para diagnosticar doenças coronarianas, identificar áreas de isquemia e avaliar danos causados por infartos, auxiliando na escolha de intervenções terapêuticas.

Cintilografia renal

Utilizada para avaliar a função renal e detectar anormalidades como obstruções e cicatrizes em caso de suspeita de doença renal crônica.

Cintilografia da tireoide

Esse exame avalia a função da glândula tireoide e detecta nódulos, distinguindo entre nódulos funcionantes e não funcionantes. Além disso, esse exame é útil para o diagnóstico e planejamento do tratamento de doenças tireoidianas, como hipertireoidismo e câncer de tireoide.

Cintilografia cerebral

A cintilografia cerebral serve para estudar as doenças que afetam o cérebro, dentre elas demências como o Alzheimer e a Demência por corpúsculos de Lewy, além de detectar tumores cerebrais e AVCs.

Como se preparar para o exame?

A preparação para a cintilografia varia conforme o tipo de exame e a área do corpo a ser avaliada. No entanto, algumas orientações gerais podem ajudar a garantir que o procedimento ocorra sem contratempos:

  • Manter-se em jejum;
  • Informar a equipe e ao médico sobre todas as medicações que você está tomando pois pode ser necessário suspender temporiamente o uso;

Leia aqui sobre o preparo de exames: saiba qual o ideal para exames de imagem!

Após a realização desse exame, os pacientes podem retomar suas atividades normais, mas algumas precauções são recomendadas:

  • Se hidratar bastante para ajudar a eliminar mais rapidamente o radiofármaco do organismo;
  • Evitar contato próximo e prolongado com crianças pequenas e mulheres grávidas por um período específico, geralmente de 24 a 48 horas, para minimizar a exposição à radiação residual.
  • Embora raras, reações alérgicas ao radiofármaco podem ocorrer. Se você sentir qualquer sintoma incomum, como erupção cutânea, coceira ou dificuldade para respirar, procure atendimento médico imediatamente.

Conclusão

A cintilografia é um método de diagnóstico por imagem poderoso, oferecendo informações detalhadas sobre a função e estrutura dos órgãos. Seu uso abrangente em diversas especialidades médicas destaca sua importância. Portanto, compreender como este exame funciona e suas aplicações pode ajudar pacientes e profissionais de saúde a tomar decisões informadas.

Compartilhe:

Fale com um especialista e reduza custos do seu hospital.

A VX Medical Innovation oferece laudos de subespecialistas mesmo em locais distantes dos grandes centros urbanos, agilize o diagnóstico com laudos em até 2 horas e reduza os custos operacionais e otimize processos internos. Vamos conversar.
plugins premium WordPress